Portugal abriga a maior “biblioteca” de tecidos do mundo

#clipping conexaolusofona.org

Marta Araújo


Sejam muito bem-vindos à maior “biblioteca” de tecidos do mundo.

Acabaram de entrar em território português. A Calvelex, empresa têxtil sediada em Lousada (Porto, Portugal), conta com 30 décadas de alfaiataria, perseguindo a distinção pelo rigor e afirmando-se como uma referência – nacional e internacional – na confeção de vestuário feminino de alta qualidade. Ao longo do tempo, nunca parou de crescer e continua a almejar a criatividade no horizonte.


No seu ADN fabril, conta com uma particularidade que ajuda a garantir a sua perpetuação no tempo: uma tecidoteca. Para a maioria, este termo pode suar estranho, mas é a designação correta quando o assunto abordado é o espólio de tecidos. Assim como a palavra biblioteca, segundo o dicionário de língua portuguesa, remete para “um espaço físico em que se guardam livros, dispostos ordenadamente para estudo e consumo”; a palavra tecidoteca significa a mesma coisa, mas, em vez de armazenar livros, conserva tecidos, ordenados por padrões, texturas e cores. Perseguindo o objetivo de lhe mostrar este universo, convidamo-lo a arranjar uma posição confortável e a embrenhar-se na leitura. A palavra de ordem será a moda, alicerçada nas tendências que a tecidoteca da Calvelex vende ao metro. Vamos falar de história.


O MAIOR ARQUIVO DE TECIDOS DO MUNDO

Os protagonistas desta narrativa são os rolos de tecidos amontoados em prateleiras, distribuídas pelo arquivo físico. Cada um tem as suas características: origem, cor, padrão, textura, feitio, etc.. Dentro da tecidoteca, encontramos cerca de um milhão de metros de pano e 20 mil referências já catalogadas. Na sua plataforma online, podem ser encontradas cerca de 7500 referências, faltando 17 mil tecidos por catalogar. A tarefa de organização é demorada e metódica e, ano após ano, são somados mais 600 modelos ao acervo virtual.

Tudo começou há 15 anos, mais concretamente em 2003. Preencher uma lacuna no mercado e transformá-la numa oportunidade de negócio foi o mote para a criação da tecidoteca da Calvelex. Segundo o CEO(diretor-executivo) da empresa, César Araújo, era essencial criar uma plataforma que pudesse ser utilizada pelos jovens designers de moda, sem restrições. Desta forma, foi plantada a “semente” de um novo projeto. “Um designer de moda, quando pretende criar um produto ou uma coleção, é obrigado a comprar 50 ou 100 metros de tecido, independentemente do produto final. Esta tarefa pode revelar-se dispendiosa e, para contornar esse cenário, decidimos criar a Fabrics4Fashion”, adiantou. Esta extensão é conhecida como a tecidoteca cibernética, onde podem ser procuradas as referências de tecido online. “Aqui, nós permitimos que qualquer jovem profissional da área, ainda a dar os primeiros passos, possa comprar os tecidos que pretende ao metro. Deste modo, apesar de sermos o produtor, também passamos a ser vistos como parceiros”, explicou o diretor-executivo da empresa têxtil.


Leia matéria completa: https://goo.gl/rVgKH3


Veja também

Capulana: um tecido carregado de históriaBrasil inova com app que identifica marcas de moda que recorrem a trabalho escravoL’Afrikana: o projeto social que une África e Brasil pela moda

10 visualizações

Razão Social

Ana Carolina Fernandes Peres da Silva - MEI

CNPJ 16.747.407/0001-17

 

Endereço

Rua 6 Condomínio 276 - Lote 3 - Unidade 105

Vicente Pires / Brasília-DF - Cep. 72.006-610

ideiapratica.art@gmail.com

Brasil +55 61 99124-7276

Portugal +351 918 126 371 (WhatsApp)

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn

© 2020. Todos os Direitos Reservados.